sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

LP THE BEST OF JACKSON 1983 CBS ESPECIAL LEVIS

A programação radiofônica da Campanha da Boa Vontade, no ar há sessenta anos, por um Brasil melhor e uma Humanidade mais Feliz!

Café Con Che © Records LP THE BEST OF JACKSON com MICHAEL JACKSON Apresentando Seus Grandes Sucessos

1983

CBS ESPECIAL 620065
PROMOÇÃO LEVIS



THE BEST OF JACKSON
Joe e Kate Jackson formavam um simpático casal entre tantos outros da cidade de Gary (Indiana EUA). Nos fins de semana, Joe atuava como músico, tocando nos clubes locais, o que, de certa forma, o compensava pelo duro trabalho de metalúrgico que fazia durante a semana e aumentava o orçamento da família. Afinal, eram, nove filhos. Quando um dia, aos cinco anos de idade, MICHAEL, cantou na escola a música “Climb Ev’ry Mountain” e deixou a todos boquiabertos com sua afinação surpreendente, poucos sabiam que ali estava nascendo uma das mais fantásticas carreiras do show-business mundial. Os irmãos mais velhos também gostavam de cantar e Joe,então, começou a pensar seriamente numa carreira musical para os filhos. Passou a ensaiá-los todo o dia. MICHAEL, TITO, MARLON, JACKIE e JERMAINE passaram a ser conhecidos como o JACKSON 5. Depois de alguns shows pelas vizinhanças, foram levados por DIANA ROSS para fazer um testa na Motown, onde foram imediatamente contratados. Fizeram sua estréia no popularíssimo programa de ED SULLIVAN, em 1969, “I Want You Back e The Love You Save” foram alguns dos maiores sucessos do grupo naquela época.
MICHAEL JACKSON já era, então, a grande atração do JACKSON 5.
Nos anos seguintes, eles se mantiveram como um dos maiores cartazes dos show-business norteamericano. Deram a volta ao mundo quatro vezes trabalhando. Fizeram, inclusive, uma apresentação especial no Palácio de Buckingham, a convite da Rainha Elizabeth da Inglaterra, em 1977. Paralelamente ao sucesso do grupo, MICHAEL desenvolvia sua carreira-solo, vitoriosa desde o inicio. Músicas inesquecíveis como “Bem e I’II Be There” ampliaram a popularidade do artista e seus irmãos a níveis cada vez mais intensos.
O contrato com a EPIC Records (representada no Brasil pela CBS) foi assinado em 1976. JERMAINE , casado com a filha de Berry Gordy, presidente da Motown, permanece no antigo selo e lança sua carreira-solo. O irmão mais novo da familia, RANDY, toma seu lugar no grupo, que passa a se chamar THE JACKSON.
Vários LPs se seguiram, todos eles premiados com o Disco de Ouro ou o Disco de Platina.
TRIUMPH, lançado em 1980, foi um dos mais bem sucedidos.
“Lovely One e Can You Feel It” foram músicas que se destacaram no album.
Aconteceu em 1979 o lançamento do álbum que seria um autêntico divisor de águas, um marco importantíssimo na carreira-solo de MICHAEL JACKSON: OFF THE WALL (primeiro lançamento do artista no selo EPIC).
Produzido por QUINCY JONES e co-produzido por MICHAEL, OF THE WALL deu inicio à fase mais madura de interpretação de MICHAEL e assegurou sua posição como um dos melhores compositores de música pop dos Estados Unidos. “Dont Stop Till You Get Enough, Off The Wall e Rock With YoU” foram faixas do LP que estouraram nas rádios do mundo inteiro. O disco conquistou vários prêmios importantes e suas vendas chegaram a 5 milhões de cópias nos Estados Unidos e mais 7 milhões no resto do mundo, contribuindo para um aumento substancial do sucesso de MICHAEL JACKSON. O LP passou oito meses entre os dez primeiros colocados da revista BILLBOARD, totalizando 84 semanas de permanência naquela parada.
Depois de mais de três anos sem lançar um disco-solo, MICHAEL respondeu às expectativas dos fãs do mundo inteiro lançando, em dezembro de 82, o multimilionário álbum THRILLER. “The Girl Is Mine”, cantada em dueto com PAUL McCARTNEY foi o primeiro êxito do LP. No entanto, a carreira do álbum foi assumindo proporções cada vez gigantescas.
Agora, um ano e meio após o lançamento de THRILLER, o saldo é de um positivismo recorde; 35 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo; mais de meia centena de Discos de Ouro e Platina vindos de inúmeros países; 8 prêmios Grammy em diversas categorias;e três vídeo-clips premiadíssimos (Billie Jean, Beat It e Thriller), entre outras coisas.
MICHAEL JACKSON é atualmente o maior nome do mundo do disco e também o maior recordista da história da indústria fonográfica com seu álbum THRILLER, figurando no GHINESS BOOK OF WORLD RECORDS. O sucesso continua e quem ganha mesmo é o público que pode desfrutar do enorme talento do maior astro da música pop internacional desde os BEATLES, há quase duas décadas.

A
Ben
Medley: I want you back / ABC / The Love you save
I’ll be there
Lovely one
Can you feel it

B
Don’t stop till you get enough
Of the wall
Rock with you
The girl is mine
Thriller
Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País.Visite

sábado, 19 de dezembro de 2009

LP THE POPS NOVA EDIÇAO CAPA AZUL PADRAO

Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País.Visitehttp://www.euajudoamudar.org/!


Café Con Che © Records
LP THE POP’S NOVA EDIÇÃO CAPA AZUL

PADRAO
EQ817




Não faz muito tempo, eu, Luiz de Carvalho e Jonas Garret, fazendo o TEVEFONE, pelo canal 4-TV GLOBO, colocamos no programa um conjunto de rapazes para os acompanhamentos. Nome do conjunto: THE POP’S!... Hoje, super consagrado. Naquela época, lembro-me bem, um dia me zanguei com o conjunto e disse taxativamente: Vocês só vão toca, SÓ TOCAR!...Cantando vocês são umas bombas!...Eu achava, Luiz e Jonas idem, que os rapazes solando eram macios, afinados, harmoniosos, e que trazia uma mensagem diferente. O diabo é que naquela ocasião ninguém acreditaria que um conjunto poderia fazer sucesso só “tocando”. Acontece que o conjunto gravou e marcou. Começaram os primeiros sucessos. E o conjunto ai está como fôrça representativa de uma nova escola instrumental. Outros conjuntos seguiram a mesma trilha, alguns conseguiram êxito, outros, tentando um lugar ao sol até hoje. “THE POP’S” é inconfundível!...É um nome que representa bilheteria certa para o baile dos jovens.
Os componentes, que ainda recentemente assisti aplaudidos por 5.000 pessôas em um baile no Estado do Rio, são os seguintes; EUCLIDES, 1º Guitarra; PIPO, 2º Guitarra; PARADA, Bateria; SILVIO, 3º Guitarra.
Gravaram em trinta e pouco mêses, nada menos de 2 LPs e quatro compactos. Já venderam perto de um milhão de músicas.
A escolha das músicas constantes dêste LP. Me parecem de muito bom gôsto. É certo que tôdas estão com a marca registrada THE POP’S. Uma coisa garanto: É um LP comercial no melhor estilo do conjunto. Contém músicas para agradar aos jovens de 8 a 80 anos. Por falar em idade, é bom falar que THE POP’S é um conjunto que tem trânsito livre até mesmo na casa de quem é hostil ao IÊ, IÊ, IÊ. Os motivos são óbvios para áqueles que já conhecem o repertório dos garôtos.
Antes que me esqueça quero esclarecer que, todos, tem cabeleiras naturais, isto é, são cabeludos autênticos, perdem horas e horas se penteando e querem continuar na onda. Êles são assim...Adoram o público e abrem largos sorrisos quando são aplaudidos. Êles estão, aqui, nêste nôvo LP para receber o seu aplauso!
Tenho dito,
MARIO LUIZ




FACE A
7 Maravilhas Nº 3
O Guarany
Ultima inspiração
Lábios que beijei
Cabelos brancos
Caminhemos
Feitiço da Vila
Tahí
Driving guitar
Lenda do beijo
Noturno de Chopin
Johnny Guitar
Andalucia

FACE B
Caravan
Recordando boleros
Besame mucho
Que murmurem
Vereda tropical
Sabor a mi
Quando tu me quieras
Mr. Motto
Ciranda iê, iê, iê
Caranguejo peixe é
Nesta rua tem um bosque
A carrocinha
Passaraio
Onde esta a margarida
Saba lê, lê
Concerto Nº 1
Meu coração a ti pertence

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

LP GRUPO PRATA DA CASA BOSSA NOVA 1988 MEMORIA BRASIL RETOQUE

Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País.Visitehttp://www.euajudoamudar.org/!



Café Con Che © Records
LP GRUPO PRATA DA CASA BOSSA NOVA

1988

Memória Brasil
RETOQUE 350002




O projeto Memória Brasil relembra e reverencia nossos compositores eternos como Vinicius de Moraes, Ronaldo Bôscoli, Roberto Menescal e Johnny Alf, entre outros, regravando seus sucessos com qualidade técnica impossível à época do lançamento, com cuidado de não deturpar a autenticidade das obras.
No suplemento Bossa Nova foram utilizados os mais modernos equipamentos de gravação, aliados à execução do grupo “Prata da Casa”, formado por músicos conceituados, que acompanham com freqüência as grandes estrelas da MPB em shows e nas gravações de seus discos.

PRATA DA CASA
Julinho Teixeira: arranjos, piano e teclado
Wilson Meireles: bateria
Pedro Baldanza: baixo, violão, voz em A1, A3, A6, B2 e B4
Marisa Fossa: voz em A5 e B5
Ronaldo Bakker: voz em A2
Gastão Lamounier: voz em A4, B1, B3 e B5
A
Garota de Ipanema
O Barquinho
O Pato
Ligia
Corcovado
Águas de Março

B
Eu e a Brisa
Samba do Avião
O que Eu Gosto de Você
Wave
Você

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

LP ELIS REGINA E JAIR RODRIGUES 2 NA BOSSA MONO PHILIPS

A campanha Eu Ajudo a Mudar é uma ação da Legião da Boa Vontade (LBV). Seu objetivo é mudar a realidade de uma parcela da população, que é carente e necessita de acompanhamento constante. Por isso, queremos contar com a sua ajuda e o seu apoio.Você pode ajudar fazendo doações permanentes à campanha, ou contribuindo para sua divulgação: conte para o maior número de pessoas possíveis!Um gesto simples pode ajudar a transformar o mundo. Engaje-se na campanha Eu Ajudo a Mudar, publique em seu site, blog, ou perfil do Orkut, os selos e frases do projeto. Seja o verdadeiro protagonista das mudanças na vida de muitos indivíduos!Se você não possui um site ou blog, mas tem um amigo ou familiar que possui, indique a ele.
Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País.
Café Con Che © Records

LP ELIS REGINA E JAIR RODRIGUES 2 NA BOSSA

MONO
PHILIPS P632765


Show Gravado ao Vivo no teatro Paramount São Paulo


Era 9 horas da noite do dia 29 de abril de 1965. A platéia, quase tôda, se transportara para o palco do Teatro Paramount. Os gritos de “volta”! as lágrimas de uma quase menina de 20 anos, o espanto de um cantor de sucesso, tudo isso era uma afirmativa. Terminava com um sucesso sem precedentes o “show” que jamais será esquecido. E os que tiveram o prazer de vê-lo, poderão confirmar. Elis Regina e Jair Rodrigues acabavam naquela noite de realizar com o maior sucesso de público (2000 pessoas pagantes), de critica e de perfeição em todos os sentidos (técnico, inclusive) que São Paulo já assistiu e o Brasil vai ouvir. Nem mesmo a experiência de mais de 13 espetáculos dessa natureza nos fêz prever tal coisa. No final do espetáculo, nosso escritório, no próprio teatro, recebia o público que pedia mais e queria reservar ingressos mesmo sem antes saber se haveria outro “show”, tal a excitação provocada por aquela noite. Elis Regina e Jair Rodrigues deram prova definitiva de que a música brasileira moderna já é parte integrante do povo. E por tudo isso eu lhes digo: Muito obrigado. Vocês não existem! A história de nossa música Val falar de vocês.
Walter Silva


LADO 1
Pot pourri
a) O morro não tem vez
b) Feio não é bonito
c) Samba do carioca
d) Este mundo é meu
e) A felicidade
f) Samba de negro
g) Vou andar por ai
h) O sol nascerá (A Sorrir)
i) Diz que fui por ai
j) Acender as velas
k) O voz do morro
l) O morro não tem vez
Preciso aprender a ser só
Ziguezague
Terra de ninguém

LADO 2
Arrastão
Reza
Tá engrossando
Deus com a familia

Menino das laranjas

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

LIVRO JOSE DE PAIVA NETTO A NOVA ABOLIÇÃO 1989

A programação radiofônica da Campanha da Boa Vontade, no ar há sessenta anos, por um Brasil melhor e uma Humanidade mais Feliz!



Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País. Visitehttp://www.euajudoamudar.org/!


Café Con Che © Records


LIVRO JOSÉ DE PAIVA NETTO A NOVA ABOLIÇÃO

LIVRO DE BOLSO

Coleção Bolso De Cima

2º Edição
1989


Respondendo Pedro e João aos Sinedritas, disseram:
Não podemos deixar de falar daquilo que vimos e ouvimos. (...)
Importa antes agradar a Deus que aos Homens.
Atos dos Apóstolos de JESUS

MEDITE SOBRE O QUE O CRISTO ENSINOU: AMAI-VOS COMO EU VOS AMEI!
Quer conferir a superioridade do CRISTO?
Você não precisa de intermediários. Abandone idéias preconcebidas e vá ver o que Ele disse!
Contudo, não leia a Bíblia ao pé da letra. Como alertava Alziro Zarur, muita gente foi lê-la assim, e aí é que deixou de acreditar em DEUS! A Divina Escritura tem Amor, que é o inverso do fanatismo. Temos de analisá-la em Espírito e Verdade à Luz do Novo Mandamento do CRISTO: AMAI-VOS COMO EU VOS AMEI. Senão você corre o risco de pegar o Livro Sagrado e usá-lo para perseguir, oprimir, liqüidar os que não pensarem como você. A História esta repleta de exemplos do emprego criminoso da grande autoridade moral da Bíblia Sagrada.

O ABOLICIONISTA ESQUECIDO
Consigna em seus relatos a História personagens notáveis, figuras extraordinárias, que dignificaram a cultura, a religião, a filosofia, a política, a ciência, a literatura, o esporte, a arte...
Entretanto no passar inexorável do tempo, da lembrança dos povos vai esmaecendo a fama de suas realizações gloriosas, somente restando os seus nomes e uma pálida recordação dos seus feitos.
Apenas um desses vultos gloriosamente resiste. É o maior deles. Cada vez mais fulgura Sua presença luminosa. Cada vez mais Sua marca indelével se firma na memória dos homens: “Passará o Céu, passará a Terra, mas as minhas palavras não passarão” (Lucas, XXI:33)
Não obstante Sua incomensurável sabedoria, Seu excepcional significado para os povos da Terra, o mundo ainda não O honrou com as dignidades, as sagrações, o reconhecimento com que comumente glorifica os seus maiores. Na verdade, cumpre dizer, Ele jamais desejou quaisquer dessas honras passageiras: “Eu não aceito glória que vem dos homens” (João, V:41)
Sua vida- infância, juventude, pregação da Boa Nova, padecimentos, morte, ressurreição – não encontra paralelo entre os seres terrenos: “Vós sois de baixo, Eu sou de cima; vós sois deste mundo, Eu não sou”. (João, VIII:23)
Depois Dele, na Terra a existência do homem nunca mais foi a mesma: “Eu sou a Ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá eternamente”. (João, XI 25e26)
Sacudiu as consciências e convocou para Belém a diligência dos poderosos. A Seu respeito profetizou Simeão: “Eis que este Menino está destinado para a ruína e para o erguimento de muitos, e para ser alvo de contradição”. (Lucas, II:34)
Desde a infância manifestou o Seu elevado saber: aos doze anos já pregava aos doutores da lei, revelando o Seu Divino conhecimento. Enfrentava-os com celeste sabedoria. Nada O atemorizava, nem mesmo as inquirições geralmente ardilosas de escribas e fariseus. Deixava-os atônitos e em demorada reflexão, tamanha sublimidade das lições que as Suas réplicas encerravam: “Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e crê Naquele que me enviou, tem a vida eterna, já passou da morte para a Vida”. (João, V:24)
Esse extraordinário Ser que nasceu sob a expectativa dos milênios, o Messias prometido desde Moisés, para O qual os Anjos da Milícia Celeste entoaram o GLORIA A DEUS NAS ALTURAS E PAZ NA TERRRA AOS HOMENS DA BOA VONTADE DE DEUS;
- Que sacudiu os alicerces da sociedade: “Não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada”. (Mateus, XXIV:2)
_que admoestou os desatentos: “Assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a volta do Filho de DEUS. (...) Nesse tempo haverá grande tribulação, como nunca houve e nem jamais se repetirá. Não fossem aqueles dias abreviados, por causa dos escolhidos, ninguém se salvaria”. (Mateus, XXIV:27 e Marcos, XIII:19e20);
- que advertiu os ociosos: “Porque o Filho de DEUS virá na glória de Seu Pai, com os Seus Anjos, e então retribuirá a cada um segundo as suas próprias obras”. (Mateus, XVI:27);
- que fez estremecer os poderosos: “Ai de vós porque se hoje rides, amanhã lamentareis e chorareis”. (Lucas, VI:25);
- que instruiu os sábios e entendidos do mundo: “O meu ensino não é meu, e sim Daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade Dele, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de DEUS ou se Eu falo por mim mesmo. Quem fala por si mesmo está procurando a sua própria glória; mas o que procura a glória de que o enviou, esse é verdadeiro nele não há injustiça”. (...) “Santifica-os, Pai, na Verdade”. (João, VII:16 a 18, XVII:17);
- que confortou os desesperados: “Vinde a mim todos vós que estais exaustos e oprimidos, e Eu vos aliviarei”. (Mateus, XI:28);
-e que mostrou o caminho da verdadeira libertação: Conhecereis a Verdade (de DEUS) e a Verdade (de DEUS) vos libertará”. (João, VIII:32);
Eternizou-se na História da Humanidade, porque fez morada nos corações humanos, oprimidos pela ameaçadora paz dos homens, por isso sequiosos da “Paz de DEUS, que o mundo não lhes pode dar”. (João, XVI:27) E Ele disse ainda: “Misericórdia quero, não holocausto”. (Mateus, IX:13)
Quereis saber o Seu nome?
JESUS!
Jamais o Mundo conheceu outro Ser Superior a Ele. É o emissário do Pai Celestial. Veio para ensinar-vos, com o Seu próprio exemplo, o roteiro da Paz de DEUS, porque a paz dos homens é uma constante ameaça:
“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (...) “Eu e o Pai somos um”. (João, XVI: 6 e João X:30)
E Sua estrada luminosa é esta:
“Novo Mandamento vos dou
_ Que vos amei uns aos outros como Eu vos amei. E somente assim sereis reconhecido como meus discípulos – Se vos amardes uns aos outros como Eu vos amei (João, XIII: 34 e 35). Ninguém tem maior amor do que este – dar a sua própria vida pelos seus amigos”. (João, XV:13)
A esse JESUS toda a humanidade deve aprender a reverenciar, conhecer o Seu júbilo, os Seus gozos, os Seus prazeres espirituais infinitos.
E essa consideração indubitavelmente significa o reconhecimento da Sua Divina autoridade sobre os povos do Planeta Terra, que Ele mesmo criou por ordem de DEUS Total: é o aprendizado e a vivência perfeitos de Suas divinas palavras e exemplos, registrados no Santo Evangelho. E se os Seres Humanos realmente reconhecem em CRISTO JESUS o Celeste Emissário de DEUS e O homenageiam pelo cumprimento fiel da Sua gloriosa missão redentora, não podem esquecer os Seus ensinamentos, o Seu sacrifício pela valorização dos homens e pela salvação de seus Espíritos Imortais: QUEM GUARDA O MEU NOVO MANDAMENTO NÃO MORRERÁ. JÁ PASSOU DA MORTE PARA A VIDA.
Seja a nossa homenagem, ao Abolicionista Esquecido, neste Centenário da Abolição da Escravatura Negra no Brasil, a meditação acerca da essência do Seu Evangelho e do Seu Apocalipse em Espírito e Verdade à luz do Novo Mandamento, que liberta os homens de todas as cores, pois, os livra de dentro para fora, transformando-os:
“Já não vos chameis servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer”. (João, XV:15)
Seja a vossa reverência o eterno reconhecimento de ser Ele o Abolicionista de todas as escravaturas, até daquelas que os homens – cegos pela ignorância das coisas espirituais – ainda nem mesmo têm consciência: “De que vale ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mateus, XVI:26)
E tudo isto é necessário para que esse estudo e essa reflexão possam levar-los a bem compreendê-Lo, para melhor senti-Lo na Sua grande tarefa de soerguimento espiritual da Humanidade. Então sim haverá finalmente um só rebanho para um só pastor (João, X:16), formado por negros, brancos, amarelos, vermelhos, mestiços.
Eis a mais preciosa caridade que a LBV Mundial e a RELIGIÃO DE DEUS têm para oferecer ao mundo: para salvarmo-nos, precisamos salvar; para libertarmo-nos , precisamos libertar. É a Lei da Reciprocidade, comum na Sociedade, Solidária que pregamos e procuramos viver como Cidadãos do Universo.
Cada espaço conquistado pelo Amor é perdido pelo ódio.
Jose de Paiva Netto

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

LP DON COSTA VOZES E TROMBONES 1976 UNITED ARTISTS

Eu ajudo a mudar! Faça como eu: conheça o projeto e ajude a mudar a realidade social do País. Visite http://www.euajudoamudar.org/!

Café Con Che © Records

LP DON COSTA VOZES E TROMBONES

1976
UNITED ARTISTS RECORDS
UALP 11777




O produtor, arranjador e maestro Don Costa sempre procurou inovar em tudo que criou. Deixando de lado uma de suas maiores virtudes, que é a de descobridor de artistas, temos que considerá-lo como o notável músico que sempre foi. Aqui, temos mais uma prova disso, e à medida que vamos ouvindo o disco, mais nos convencemos que estamos diante de algo diferente em têrmos de avançada técnica de gravação.
Tôdos os cuidados são tomados com o equipamento técnico, para que se obtenha o maior rendimento possível, e nota-se que os músicos procuram dar o máximo de sí, daí resultando um trabalho técnico-artístico de qualidade altíssima.
O repertório também reflete o cuidado de Don Costa em oferecer sempre o melhor. Da movimentada “DAY IN DAY OUT”, êle nos conduz pelo romantismo de “DEED I DO”, de forma quase imperceptível. “THE BREEZE AND I”, (Andalucia) de Lecuona adquire nova beleza com a primorosa orquestração aqui apresentada. “JUST IN TIME” vêm a seguir, estuante de ritmo e movimento. A seguir, temos a presença de Gerswin, com “BUT NOT FOR ME”. E o jazz também tem vez: “I’M BEGGINING TO SEE THE LIGHT”, consagrada peça de Hodges, Harry James e Duke Ellington, comparece vestida de roupa nova, e apesar de antiga ostenta as esfuziantes côres das roupas juvenis de hoje. No lado 2 (b) “SKYLINER”mostra que as coisas quentes e movimentadas sempre agradam. Don Costa sempre apreciou o ritmo latino, e não esconde isso em “ECHO OF LOVE”. Lembram-se de “OPUS Nº 1”, a página de Sy Oliver que atravessou gerações? Pois, ei-la aqui. Enrique Madriguera, ao compôr “ADIOS”, nunca imaginou que de Glenn Miller a Don Costa, ela continuasse morando em inúmeros corações. Rodgers e Hart também aqui estão, com “THOU SWELL”. E a coisa termina com Gerswin, de forma magistral, com “NICE WORK IF YOU CAN GET IT”.
Bem, termina é maneira de dizer, pois nós temos certeza que você vai ouvir de nôvo. E é bem capaz que danse... até mesmo sòzinho, ou sòzinha...

DISCOS COPACANA
Depto. Internacional

LADO 1
Day in Day out
Deed I do
The Breeze and I
Just in Time
But not for me
I’m beginning to see the Light

LADO 2
Skyliner
Echo of Love
Opus nº 1
Adios
Thou Swell
Nice Work if you can get it

domingo, 11 de outubro de 2009

LP SUCESSOS DA RADIO MANCHETE 1980 MERCURY

Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro

Café Con Che © Records
LP SUCESSOS DA RADIO MANCHETE
1980
MERCURY 6448104



A Rede Manchete de Rádio (FM/RIO, FM/SÃO PAULO, FM / RECIFE, FM / BRASILIA) está lançando seu primeiro Lp. Jovem e moderno, à sua semelhança. Pretendemos que ele comece por cima, na cabeça, como as rádios começaram: direto para a liderança e o sucesso.
Este disco foi planejado por gente jovem, com mentalidade de futuro.
Estamos dando apenas o primeiro passo de uma longa caminhada. Vamos abrir espaço, no mercado de discos, para a Rede Manchete de Rádio.
É questão não só de espaço, mas de tempo também.
E um tempo que não esta longe.

LADO 1
THROUGHOUT YOUR YEARS Kurtis Blow
HOW LONG Lipps Inc
LETS DO IT AGAIN Fatback
FUNTIME Peaches & Herb
SARTORIAL ELOQUENCE Elton John
INTO THE NIGHT Benny Mardones

LADO 2
SHOULD HAVE KNOW BETTER Teri deSario
ARE YOU READY Latoya Jackson
TIME Edmund Sylvers
I ENJOY YA Seventh Wonder
GOTTA GET NEXT TO YOU Mizz
CEST MAGNIFIQUE Santa Esmeralda

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

LP CLAUDIO HENRIQUE A POSIÇÃO DA CAMA MUNDISC

LBV Educando com Espiritualidade Ecumênica




Café Con Che © Records
LP CLAUDIO HENRIQUE A POSIÇÃO DA CAMA

MUNDISC 101067

Autografo com dedicatória ao Radialista e Comunicador Haroldo de Andrade.


Lado A
Paixão
(Cardosinho/ Gilberto Jordão / Tião Marangá)

Essa Mesma Solidão
(Gilberto Jordão / Liani da Pompeia)

Você Tem Que Maneirar
(Ivan da Conceição)

Era Uma Vez
(Ivan da Conceição)

Lado B
Saudade de Maria
(Nadir da Viola / Jorge Francisco)

A Posição da Cama
(Ivan da Conceição)

Coisas da Face do Mundo
(Ivan da Conceição / Antonio Valentim)

O Homem do Ano
(Ivan da Conceição)

Arranjos e Regências JORGE SIMAS

Músicos
JORGE SIMAS Violão 7 cordas
JORGE GOMES Bateria
WANDERSON Cavaco/Banjo
EDU MORELAMBAUM Teclados
WANDO C. Baixo
BIRA HAVAY Surdo
RINGO Guitarra
ALADIM Percussão
LUIS FELIPE Percussão
MARCUS ALCIDES Percussão
ZIZINHO Percussão
GRUPO VOCAL DRUM Coro

sábado, 26 de setembro de 2009

OS TRES PASTORINHOS DE FÁTIMA PATRONA DA CAFE CON CHE

Uma homenagem da
Café Con Che © Records
A Sua Patrona
NOSSA SENHORA DE FÁTIMA




OS TRÊS PASTORINHOS DE FÁTIMA:

UMA HISTORIA DE LUZ

Associação Cultural Nossa Senhora de Fátima

Impressão e Acabamento Globo Cochrane Gráfica e Ed. Ltda.

3º edição Abril 2003


Queridos meninos e meninas:

Nossa Senhora precisa muito de vós todos, para consolar Jesus, triste com as asneiras que se fazem; precisa das vossas orações e sacrifícios pelos pecadores. Pedi aos vossos pais e educadores que vos metam na “escola” de Nossa Senhora, para que Ela vos ensine a ser como os pastorinhos, que procuravam fazer tudo o que lhes pedia. Digo-vos que “se avance mais em pouco tempo de submissão e dependência de Maria, que durante anos inteiros de iniciativas pessoais, apoiados apenas em si memos” (S. Luíz de Montfort, ‘Tratado da verdadeira devoção à SSma. Virgem, nº 155). Foi assim que os pastorinhos se tornaram santos depressa.

Uma mulher que acolhera a Jacinta em Lisboa, ao ouvir conselhos tão bons e acertados que a pequenita dava, perguntou que lhos ensinava. “Foi Nossa Senhora” – respondeu.

Entregando-se com total generosidade à direção de tão boa Mestra, Jacinta e Francisco subiram em pouco tempo aos cumes da perfeição.

“Eu Te Bendigo, ó Pai, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos”.

Eu Te bendigo, ó Pai, por todos os teus pequeninos, a começar da Virgem Maria, tua humilde Serva, até aos pastorinhos Francisco e Jacinta.

Que a mensagem das suas vidas permaneça sempre viva para iluminar o caminho da humanidade!

João Paulo II

(Trecho da homilia se S.S. João Paulo II, de 13-05-2000, em que o Papa fala às crianças presentes na Missa de beatificação dos Pastorinhos, em Fátima, Portugal).

sábado, 19 de setembro de 2009

CD SEMENTE SMT 97/98 PROGRESSIVO BRASIL.

"O Ser humano descobrirá que não é somente sexo e estômago. Há nele o espírito eterno, que lhe fala de outras vidas e outros mundos, que procura pela Intuição ou pela Razão."
Paiva Neto.




Café Con Che © Records



CD SEMENTE

SMT 001



Gravado e mixado no Estúdio SB, no Rio de Janeiro de Julho de 97 a Agosto de 98.



Dia 28 de agosto de 1976 foi um marco na vida de quatro caras que viviam no Rio de Janeiro, entre aulas, garotas, praias e uma paixão em comum: a música. Naquele dia, Alexandre, Mário e Pedro, que já tocavam juntos há algum tempo, fizeram o primeiro som com Sérgio e aquela alquimia deu origem a uma união muito mais que sonora.
Naqueles tempos de Rock Progressivo e Heavy Metal, de Yes a Uriah Heep, de Tangerine Dream a Black Sabbath, de Deep Purple a Pink Floyd, de Genesis a The Doors, os quatro rapazes embaraçaram numa viagem que nem o tempo e nem a distância geográfica conseguiram pôr fim até hoje.
As músicas desse trabalho são uma releitura do que se passava naquelas quatro cabeças: uma mistura equilibrada do que rolava no underground carioca.

O Grupo SEMENTE é:
Marcia Kosinski Vocal
Sergio Benchimol Guitarra Base, Flauta Transversa e Flautin, Sax Tenor e Voz
Alexandre Kosinski Guitarra Solo, Violão Cigano,
Pedro Kosinski Baixo, Piano, Teclado, Moog e Voz
Mario J.C. Carvalho Bateria e Voz

MÚSICAS
Semente (Alexandre, Mário, Pedro e Sergio)
Insanidade (Alexandre Kosinski, Sergio Benchimol)
Ninfa Azul (Pedro Kosinski)
Novas Forças (Sergio Benchimol)
Mundo Guerreiro (Alexandre Kosinski, Sergio Benchimol)

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

LP JOSE RASTELLI EU E MEU AMIGO VIOLÃO VOL 4 BLUE


A programação radiofônica da Campanha da Boa Vontade, no ar há sessenta anos, por um Brasil melhor e uma Humanidade mais Feliz!

Café Con Che © Records

LP JOSE RASTELLI EU E MEU AMIGO VIOLÃO VOL 4

BLUE

LD 003

Acompanhamento de REYNALDO GUIMARÃES


O título dêste LP expressa duas grandes verdades.

Se existe um instrumento amigo do homem, é sem dúvida o violão. Poderíamos defini-lo da seguinte maneira; VIOLÃO – instrumento de madeira trabalhada, que através de suas seis cordas, tem a capacidade de espelhar com fidelidade absoluta os sentimentos de quem o executa. Então, ao ouvirmos o professor José Rastelli, mesmo sem o conhecer pessoalmente, podemos sentir através de sua música, tôda a beleza da alma dêste artista que se fêz sozinho, mas que finalmente teve o seu valor reconhecido pela crítica e pelo grande público.

Aí que entra a segunda grande verdade: quando um artista consegue realizar quatro long-plays dentro de uma série, todos êles com as mesmas características, mudando-se apenas o repertório, pode-se dizer que é um artista plenamente consagrado. Foi o que aconteceu ao professor José Rastelli. De uma obscuridade até certo ponto criminosa, motivada por ser espírito pacato e modesto, o jovem artista vem “deslanchando” em sua carreira, com cadência e a técnica de um campeão nato.

O brasileiro por si é um homem que tem de tudo um pouco, e o prof. Rastelli, como bom brasileiro, “caboclo” de Araraquara, nasceu com uma tendência especialíssima para a música, e mais precisamente para o violão. Aprendeu sozinho os segredos de “seu amigo” e de tal forma conseguiu se aperfeiçoar que hoje seus quatro LPS (por enquanto) nos mostram sua técnica aprimoradíssima, seu domínio de tôdas as posições e harmonia nos acompanhamentos. É um artista de excelente padrão técnico e de grande personalidade.

No presente microssulco, vamos encontrar desde o brasileiríssimo Américo Jacomino, o inesquecível “Canhoto” até o imortal Franz Schubert, passando por nomes como Francisco Canaro, Di Cápua, Agustin Lara e outros, em composições belíssimas, reunidas com muito bom gosto e critério.

José Mauro Pires - Rádio Gazeta – São Paulo

P.S – um recadinhoao Reynaldo Guimarães: Parabéns por sua participação como acompanhante nas várias faixas dêste LP. Continue seguindo os passos de seu mestre e muito em breve terá um LP só seu. Escola você tem, e das boas.

LADO 1

GRANADA (Agustin Lara)

ROSA DE MAIO (Custodio Mesquita – Evaldo Ruy)

DEVOLVE (Mário Lago)

LAMENTO (Américo Jacomino)

O MARTE (Barloe-di Cápua)

A VOCE (Zulmira da Silva Salles)

LADO 2

SERENATA (F. Schubert)

AMOR ETERNO (Borga-e Borges )

O PREÇO DE UMA VIDA (Erlon Chaves)

INSPIRACION (Luiz Rubistein – P. Palla)

ORQUIDEA AZUL (José Lopes)

SONHAR E NADA MAIS (Francisco Canaro)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

LP RUY MAURITY 1984 POINTER

Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro

Café Con Che © Records


LP RUY MAURITY

POINTER
LP2030009




1984


A viola no peito nos olhos o dom da esperança essa palavra MAGICA que sempre desata os nós...
Ruy Maurity

Muita gente acha que o bonito está no rebuscado, no complicado.
O Ruy vem demonstrar que a simplicidade e a naturalidade é que são a verdade do “bonito”.
Arranjos assinados por maestros competentes e músicas de compositores sérios, mostram a verdade de Ruy Maurity.
José Mauricio Machline

LADO A
SACIRERE
Ruy Maurity e Zé Jorge
CANÇAO MENINA
Ruy Maurity e Zé Jorge
QUEBRA COCO
Ruy Maurity e Zé Jorge
ZE MENINO
Ruy Maurity e Zé Jorge
MAE GUERREIRA
Roberta Miranda

LADO B
ALAZAO
Ruy Maurity e Zé Jorge
TEMPO CIGANO
Ruy Maurity e Zé Jorge
VERAO PORTENHO
Ruy Maurity e Zé Jorge
ISAIAS
Ruy Maurity e Zé Jorge
DIA 5
Ruy Maurity e Zé Jorge

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

LP ORQUESTRA HARMONICAS DE CURITIBA SEMPRE NO MEU CORAÇÃO 1983 SOMA

Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro


Café Con Che © Records

LP ORQUESTRA HARMONICAS DE CURITIBA SEMPRE NO MEU CORAÇÃO

1983

SOMA 4076005





Eram quatro. Ronald, Eduardo, Artur e Luiz Carlos.
Se fossem matemáticos poderia até de dizer que formavam um quarteto. Mas eram músicos e, portanto, estavam muito longe da linearidade de um quadrado. Cada um dominava três ou quatro tipos diferentes deste instrumento que tem nome, sobrenome e é conhecido pelo apelido. Chama-se Harmônica de Boca, mas todo mundo conhece como Gaitinha.
Pois, Ronald, Eduardo, Artur e Luiz Carlos formavam o conjunto Harmônicos de Curitiba, de algum sucesso na cidade. E com certeza ficariam por aí se não fossem loucos o suficiente para propor a criação de uma orquestra.
Uma proposta insana que iria dar certo, como costuma dar certo no Brasil tudo o que foge da chamada lógica cartesiana.
A Orquestra começou a tomar forma numa noite de março de 1979, com uma espécie de vestibular que selecionou oitenta interessados em participar do curso de introdução à harmônica, entre mais de quatrocentos que se apresentaram. Vestibular tão sério, ressalte-se, que nele não houve nenhum cursinho envolvido.
Do primeiro núcleo, o quarteto, mais os, digamos, bacharelandos da primeira turma, saiu a Orquestra em sua formação inicial. A formação definitiva veio depois, com a inclusão do pessoal do segundo curso. Essa é a versão que agora chega para você com todas as notas.
E fico cá pensando por que fez sucesso esta empreitada, se no inicio, além dos quatro, só um outro quarteto acreditou na história: Ênio, Jorge, Lamartine e Carlos.
Charme, mística, não sei como definir. Mas basta ouvir para se saber que nesta Orquestra existe aquela chama do novo, da coisa criativa. Não pede unanimidade, pois esta é tendenciosa. Pede, isto sim, atenção, muita atenção.
Afinal, ela veio para tomar assento num lugar ainda vago dentro da música brasileira. Em outras palavras, veio para ficar.
Ainda bem.
Ernani Buchmann

Lado A
Sempre no meu coração (Ernesto Lecuona
Rapsódia sueca (Hugo Afven)
Olhos negros (Folclore russo)
La vie en rose (Louiguy e Piaf)
Dança do sabre (Aram Kachaturian)
Ebb Tide (Robert Maxwell)

Lado B
Aquarela do Brasil (Ary Barroso)
Coppélia (Léo Déslibes
Andaluzia (Ernesto Lecuona)
Dança ritual do fogo (Manuel de Falla)
Chá para dois (Youmans e Caesar)
September Song (Weill e Anderson

Arranjos: Zaze, Ronald, Luiz Carlos e Borrah Minevitch.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

LP ORNELLA VANONI 1966 RICORDI

Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro


Café Con Che © Records

LP ORNELLA VANONI

1966

CHANTECLER
RICORDI
RI 8038




Uma casa assobradada, um tapete persa de extravagante fundo azul, um divã encaixado em delicada moldura de madeira trabalhada e uma exuberante garota num vestido vermelho brilhante, que fazia sobressair extraordinariamente a palidez do rosto. Eis a primeira impressão de Ornella Vanoni, ao tempo do “Piccolo Teatro”, quando, após contatos fortuitos com a canção, se dispunha a estrear com uma série de recitais. Ela falava com entusiasmo, com conhecimento do assunto, com convicção, mas eu não a acreditava. Não a podia acreditar. Sabia muito bem que para cantar êsse tipo de canções são necessárias uma série de qualidades e características que não se improvisam: assobiar, fazer caretas e trejeitos, bambolear. Entretanto, a garota que me falava da sua futura atividade de cantora tinha mãos muito delicadas para segurar um microfone, olhos muitos alegres para saberem chorar sem um motivo verdadeiro, uma boca por demais inquieta e perturbadora para saber gritar com sinceridade a dôr que não sente, como requerem as canções. Não obstante, aquela garota externava uma ânsia de viver, uma tal vontade de projetar-se, que eu me via obrigado repentinamente a mudar de idéia. E o desafio que se lia em seus olhos colocava-a imediatamente nas fileiras de um certo tipo de mulher-combativa que sempre deu sua contribuição à história social, de uma forma ou de outra.
Lembra-se de “Senza Fine”? Foi exatamente essa canção de Gino Paolí que estabeleceu definitivamente a dimensão de Ornella Vanoni a cantora. Até então, não obstante as canções, ela era preferida no papel de atriz, ligada como era à gente “bem” de Milão, à Milão intelectual e ao rótulo embaraçoso de bela dama. Embaraçoso para o público de música popular, habituado a garotas menos sofisticadas, não para ela, que enfrentava o canto e a letra como a mesma instintiva naturalidade e desenvoltura de dona de casa, única profissão para a qual a havia preparado a sua educação burguêsa. Por isso, o público a aceitava como intérprete do “idiota” de Archard ou de “La fidanzata Del bersagliere”, de Anton, aceitava-a em suma como atriz, brilhante e única, e lhe permitia de quando em quando descer do seu pedestal dourado para cantar uma canção, como divertimento, como distração. Nada mais. Mas à opinião do público Ornella opunha a própria convicção, o próprio temperamento, a necessidade de lançar-se a uma aventura, sem medo, mesmo ao preço de queimar-se. Uma vez situada em nova dimensão, a cantora deveria superar a atriz, descendo do palco intelectualizado e defrontando o público dos festivais e dos “juke-boxes”. Então gravou “Ricorda”. Poderia ter sido o fim. Foi, ao contrário, um comêço. Aventurou-se no festival de Nápoles e venceu com “Tu si na cosa grande” ao lado de Domenico Modugno, enfim, num abrir e fechar de olhos conquistou Sanremo cantando uma canção de grande efeito, “Abbracciami forte”, com a qual o público fremiu.
De volta a Sanremo, confirmou definitivamente a sua personalidade, popularidade, e seus grandes dotes interpretativos com “Io ti daro di piu”, uma canção considerada unânimemente pelos críticos como uma das melhores do concurso. Sua recente presença em cinco apresentações do “Studio Uno” consagraram-na efetivamente como um dos maiores expoentes da música popular italiana. Uma intérprete que quando canta , não deixa o público se esquecer de que mereceu o prêmio S. Genesio como a melhor atriz italiana. Atualmente é uma cantora que se afirmou. As dúvidas foram resolvidas, desvencilhou-se mesmo da última partícula de embaraço que a separava do grande público popular. Ouvimo-la no verão na praia, e no inverno, no trenzinho que sobre as altas montanhas balançando-se entre os pilares, embalado pela sua voz. Nós a sentimos no rádio, a vemos na televisão. Suas canções penetram à noite em nossa casa e não se despedem na manhã seguinte, como demonstram as vozes das crianças que vão à escola, do rádio do velho coronel aposentado que até há poucos meses atrás só sabia fazer a barba ouvindo uma ária erudita. Entrou, em resumo, à força na nossa vida diária, conquistou um posto, tornou-se um hábito da nossa época. Exatamente como a mulher-combativa, de que falamos, que de tempos à tempos salta para fora das páginas da nossa história do dia a dia e impõ-se à atenção do mundo.

Orchestra e coro diretti da Gianni Marchetti
Iller Patacini
Willy Brezza
Bruno Canfera

Lado 1
FINALMENTE LIBERA
GUARDO TE CHE NE VAI
GENTE
IO NO
TU NO HAI CAPITO NIENTE
PER QUESTO VOGLIO TE

Lado 2
IO DI DARO DI PIU
1 2 3
TU CHE M HAI PRESO IL CUOR
TUTTA LA GENTE DEL MONDO
QUESTO E IL MOMENTO
LA RONDA DELL AMORE

sábado, 22 de agosto de 2009

LP THE PLATTERS SUCESSOS INESQUECIVEIS MERCURY MONO


Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro
Café Con Che © Records


LP THE PLATTERS SUCESSOS INESQUECIVEIS

MERCURY
MONO
SLP 6035




Já decorreram vários anos desde o dia que o compositor e arranjador Buck Ram descobriu, na Califórnia, um conjunto vocal formado por quatro rapazes e uma môça. Daí por diante, o conjunto cantou, trabalhou e viveu literalmente a sua música.
Êstes foi o início da carreira artística dos THE PLATTERS. Eles tornaram-se ràpidamente parte integrante da cena musical norte-americana como reais intérpretes de tôdas as facêtas da música popular desenvolvida nos recentes anos.
O sucesso dos THE PLATTERS tornou-se de âmbito universal desde que surgiram numa cena de filme “Ao Balanço das Horas”, quando arrebataram platéias como uma excelente interpretação da hoje famosa canção “ONLY YOU”, a qual faz parte dêste LP, pois é o maior sucesso do quinteto.
Êste LP tem como finalidade o propósito de reunir todos os SUCESSOS INESQUECIVEIS dos THE PLATTERS, Todos eles figuram entre as mais belas canções populares, e são todos conhecidos do público: a beleza melódica de “ORCHIDS IN THE MOOLIGHT”; a sutileza e refinamento de uma peça como “IT’S MAGIC”; a inolvidável “SMOKE GETS YOUR EYES”; a mais célebre composição de Jerome Kern, “ALL THE THINGS YOU ARE”, e todos os demais, dos quais certamente “ONLY YOU” personifica os responsáveis por sua criação.
THE PLATTERS trazem um sentimento definitivamente ao material musical que interpretam, pela intensidade rítmica, dinâmica, expressiva e contagiosa, de tal forma vivaz e alegre, que bem poucos nomes da música popular conseguem atingir ao clímax de profundo e sincero arrebatamento.
Êste LP não é um disco comum. Êle traz algo mais que isso. Traz a sinceridade de interpretação aliada a evocação nostálgica dos SUCESSOS INESQUECIVEIS dos THE PLATTERS.

Lado 1
YOU LL NEVER, NEVER KNOW
SIXTEEN TONS
WHERE
SLEEPY LAGOON
THE GREAT PRETENDER
ORCHIDS IN THE MOONLIGHT

Lado 2
MY DREAMS
HARBOR LIGHTS
SMOKE GETS IN YOUR EYES
ITS MAGIC
ALL THE THINGS YOU ARE
ONLY YOU

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

LILIAN SCHEFFLER MAGIA Y BRUJERIA EN MEXICO

Café Con Che © Records
En el Mercadolibre de Brasil

Café Con Che © Records





Libro LILIAN SCHEFFLER MAGIA Y BRUJERIA EN MEXICO

PANORAMA EDITORIAL
1983
Primera Edición
Impreso en México
ISBN 968380098X





El ser humano ha tenido frecuentemente la necesidad de creer que puede llegar a ser capaz de descubrir aquello que dentro del medio que lo rodea es considerado como misterioso u oculto, y a través de este conocimiento poder adquirir la facultad de manejar las fuerzas sobrenaturales, lo que ha dado origen a diversas manifestaciones mágicas.
México es un país en el que existen una gran cantidad de elementos de tipo mágico pagano-religiosos entre los diferentes grupos que habitan, sean éstos indígenas, mestizos o urbanos.
En este libro de completa investigación estrictamente apegada a los hechos, se hace referencia a las enfermedades consideradas como sobrenaturales, a los especialistas que se encargan de tratarlas o provocarlas, al uso ritual de alucinógenos, a las supersticiones asociadas a la agricultura, a los santuarios a los que se asiste en peregrinación para pedir favores y milagros de diversa índole, así como a las oraciones mágicas, amuletos y talismanes que se ultilizan para tratar de lograr mágicamente diferentes objetivos, a las creencias relativas a la muerte, al destino de las ánimas y la creencia que diferentes grupos tienen, que dominando lo sobrenatural se puede ayudar o perjudicar al hombre.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

LP BERT KAEMPFERT E SUA ORQUESTRA DANCING IN WONDERLAND POLYDOR

Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro

Café Con Che © 2004




LP BERT KAEMPFERT E SUA ORQUESTRA DANCING IN WONDERLAND

POLYDOR
SLPG 237570





“Dancing In Wonderland” (Dançando no País das Maravilhas), é um nôvo LP da série já consagrada de “Woderlands”. Primeiramente tivemos, “Wonderland By Night” – um dos mais vendidos LPs durante os últimos anos nos Estados Unidos – depois, “The Wonderland Of Bert Kaempfert”, é agora êste espectacular “Dancing In Wonderland”.
Em todos êstes discos vamos encontrar a grande orquestra dançante de BERT KAEMPFERT – uma das melhores bandas européias do momento.
Como sempre, baseado em uma rigorosa e bem escolhida seleção musical – com números realmente sob medida para uma execução tipicamente “a la Kaempfert” – êste “long-playing” é uma verdadeira aula de bom gosto e arte musical.
Há que se citar o piston gostoso e “relax” que aparece em quase todos os momentos dêste micro.
O conteúdo musical dêste disco é o que de mais moderno existe na atualidade no capítulo “orquestra de dança”. Quanto a sonoridade, poderíamos afirmar sem dúvida, que se trata de um dos mais bem gravados LPs já apresentados por esta companhia.
Com êste 3º “Wonderland”, está definitivamente consagrado o estilo único e inigualável de Kaempfert. Por certo, outros LPs virão, pois para discos desta qualidade nunca faltará público.


LADO 1
DANCING IN THE DARK
TWILIGHT TIME
UNCHAINED MELODY
FUNNY TALK
ONLY THOSE IN LOVE
THERE IVE SAID IT AGAIN

LADO 2
NOW AND FOREVER
SOMEBODY LOVES ME
BLUE MOON
WHEN I FALL IN LOVE
ILL GET BY
HOW DEEP IS THE OCEAN

sábado, 15 de agosto de 2009

LP BEATRIZ ARELLANO ESTA ES MI TIERRA 1979 COLOMBIA


Café Con Che © 2004

La LBV considera que para hallar las soluciones reales a todos los problemas humanos, de los más simples a los más complejos, es preciso tener Amor en el corazón.



LP BEATRIZ ARELLANO ESTA ES MI TIERRA

1979

DISCOS ORBE
OBSE 25179

HECHO EN COLOMBIA



Nace para la música colombiana una nueva voz: Beatriz Arellano. Su canto joven invita a revivir el alegre pasado de nuestros abuelos y traza al mismo tiempo nuevos caminos en la expresión
Musical.
Jaime Llano González, Felipe Henao, José Luis Martínez (Los Maestros), constituyen el insuperable respaldo instrumental de esta producción.



A
ESTA ES MI TIERRA (Eugenio Arellano)
PESCADOR LUCERO Y RIO (“El Pescador Barquero”) Pasillo (José A. Morales)
SIN PALABRAS (“Los ojos de mi perro”) Bambuco (Luis Carlos González)
CENIZAS AL VIENTO (José A. Morales)
RUEGO Pasillo (Carlos Viecco)
AYER ME ECHARON DEL PUEBLO (José A. Morales)

B
EL TORRENTE (D.R.A)
MI SEÑORA POPAYAN Bambuco (José A. Morales)
REGRESO (Efraín Orozco)
ES YA TARDE Pasillo (Carlos Viecco)
CUATRO PREGUNTAS (Pedro Morales Pino)
SOY COLOMBIANO (Rafael Godoy
)

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

CD FAMILIA MOSER CANTA GRUPO TIROL SHOW CURITIBA


Café Con Che © 2004
Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro





CD FAMILIA MOSER CANTA
Familie Moser Singt


TREZE TILIAS-SC
DREIZENLINDEN

GRUPO TIROL SHOW

Gravação CODA CURITIBA

PLCD 51302




Das Schönste auf der Welt Canção do Folclore Tirolês
S Gatale Folclore austríaco
Tirol Du bist mein Heimatland Folclore Tirolês
Alpbach Walzer Canção da região de Alpbach, Tiro!
Rote Rosen Canção de Aniversário
Schuhplatler Folclore austríaco
Glocken Jodler Folclore austríaco
Lebfrisch n Tirolerbuam Folclore Tirolês
Karwendl
Kapella Polka
Edelweiss
Wenn ich auf Hohen Berger Steh
Nachtigal Folclore Tirolês
Die Sternen Autor desconhecido

Arranjos: Bernardo Moser e Ervino Klemann

HISTORICO
Treze Tílias, desde a fundação, 13 de outubro de 1933, vem despertando curiosidade para muita gente. A cultura, a Arte, a Música, o Folclore, a Gastronomia e a arquitetura, trazido pelos imigrantes austríacos, cada vez mais tem trazido visitantes para Tirol Brasileiro. A Família Moser deu uma grande contribuição para que esta realidade fosse para a então Dreizehnlinden, teve inicio a profissão de Escultor em Munique, Alemanha. Deixou na Familía, vários mestres da nobre arte. Conrado, um dos mais completos escultores da atualidade no país, prêmio Internacional da Integração Latino Americana. Rudi, o maior mestre na arte de esculpir a Face de Cristo em nó de pinho e Bernardo, especialista em Mini-Esculturas. Na festa de 25 anos da Fundação de Treze Tílias, a Harpa tocada por Maria Moser foi uma das grandes sensações, consagrada em 1995, com a realização da 1º Colônia de Harpas de Treze Tílias, a 1º do Brasil, organizada por Bernardo. Em 1981, foi criada em Treze Tílias a Secretaria de Cultura e Turismo, sendo Bernardo seu 1º Secretário. Foi iniciada aí, a transformação de Treze Tílias em Tirol Brasileiro, com inicio das construções típicas tirolesas. Os irmãos Conrado e Cecília construíram a primeira casa típica tirolesa dos tempos modernos, a qual serviu como cartaz de divulgação dos Festejos dos 50 anos de fundação de Treze Tílias. A parti daí, a construção de casas típicas tirolesas passou a ser uma realidade em nosso Município. Desde 1981, Bernardo é Maestro da Banda dos Tiroleses e do Coral Tiroler Echo e desde 1993 é Secretário de Cultura do Município. Em 1985 foi fundado o Grupo Tirol Show, com integrantes da Família Moser. O grupo faz em média 150 shows por ano, nos Hoteis e Restaurantes da cidade.
Treze Tílias, 25 de abril de 1996

GRUPO TIROL SHOW
Integrantes
Infantil: Andréia Moser, Cláudia Moser, Silvia Moser, Karin Moser, Fernanda Moser Knollseisen, Ana Rute Dresch, Christian Moser, Aline Fernandes, Roberto Moser Klotz e Graziele Moser.

Adulto: Rudi Moser (violão) Bernardo Moser, Enir Brandalize, Conrado Moser (Citara) João e Hilda (Moser) Klotz, Maria Moser (Harpa).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

LP CHILE TIPICO 1970 EMI


Café Con Che © 2004
La LBV considera que para hallar las soluciones reales a todos los problemas humanos, de los más simples a los más complejos, es preciso tener Amor en el corazón.




LP CHILE TIPICO

1970

EMI 4088

HECHO EN CHILE




A ojos del visitante extranjero, el CHILE TIPICO es el que muestra sus particularidades folklóricas, sus paisajes exclusivos, sus costumbres y sus tradiciones, que sobrepasan las fronteras de los años y de los vertiginosos cambios del mundo moderno.
Lo típico de Chile se encuentra descripto en la famosa tonada “Camino de Luna”, poético nombre del río Calle Calle, en cuyas riberas se recuesta la vieja ciudad de Valdivia. También es típica “La Parva de Paja”, símbolo del quehacer campesino de trigo y cosecha; típico es “El Copihue rojo”, preciosa flor de los bosques sureños; y típica es la promesa de cariñosa bienvenida que contienen los versos de “Si vas para Chile”.
Y que diremos de la cueca, la airosa danza nacional chilena, todo un poema de ritmo y conquista amorosa que exalta a la pareja humana a alturas de auténticos arquetipos. Dos genuinas muestras de ese estilo se dan en “La Consentida” y “La Rosa y el Clavel” que, al igual que las demás canciones contenidas en este disco, son verdaderos clásicos de la musical tradicional chilena.
“Una peña y un cariño”, hermoso tema romántico, expresión “salonera “ y culta de nuestra música, figura aquí como una variante de los estilos más conocidos, así como “El cachimbo” nos transporta abruptamente al lejano Norte de acentos incaicos.
“Yo vendo unos ojos negros” dio la vuelta al mundo como voluntarioso embajador del espíritu del chileno que en materia de amores saber derivar sus penas hacia una bonachona ironía. Por su parte, “Río, río” y “Como el agüita fresca” son características de la inevitable integración del chileno centrino con su paisaje.
Y en cuanto a “Chile Lindo”, bueno…no es otra cosa que la sublimación de la tonada, esplendoroso himno folklórico (si así se puede decir), no aun ídolo ni a un concepto hierático de la Patria, sino a la madre tierra, al paisaje, a la historia de este pueblo y esta tierra, y todo lo que ella significa en la mente de cada uno de sus hijos.
Los artistas que interpretan estos temas son, sin discusión, los primeros divulgadores de estas bellas canciones, y configuran la más extraordinaria reunión de nombres famosos que se haya dado en un disco nacional.
R. Nouzeilles
(Director Artístico)

FAZ 1
CHILE LINDO (Clara Solovera) LOS HUASOS QUINCHEROS
COMO EL AGUITA FRESCA (Donata Román Heitmann) SILVIA INFANTAS Y LOS CONDORES
UNA PENA Y UN CARINO (Lily y Mercedes Pérez Freire) LOS HUASOS QUINCHEROS
EL CACHIMBO (del folk, versión de Calatambo Albarracín) LOS HUASOS QUINCHEROS
EL COPIHUE ROJO (Ignacio Verdugo C. y Juan M. Sepúlveda)LOS CUATRO HERMANOS SILVA
LA ROSA Y EL CLAVEL (J. Martínez Serrano) SILVIA INFANTAS Y LOS CONDORES

FAZ 2
CAMINO DE LUNA (Luis Aguirre Pinto) CUARTETO LLAIMA Dir. OSVALDO SILVA
YO VENDO UNOS OJOS NEGROS (del folklore) LOS HUASOS QUINCHEROS
LA CONSENTIDA (Jaime Atria) SILVIA INFANTAS Y LOS CONDORES
RIO, RIO (Tradicional) LOS HUASOS QUINCHEROS
LA PARVA DE PAJA (A. Chacón Bobadilla) SILVIA INFANTAS Y LOS CONDORES
SI VAS PARA CHILE (Enrique Marín) LOS HUASOS QUINCHEROS

domingo, 26 de julho de 2009

LP CARLOS GARDEL LOS EXITOS DE SUS PELICULAS 1974 EMI


Café Con Che © 2004

La LBV considera que para hallar las soluciones reales a todos los problemas humanos, de los más simples a los más complejos, es preciso tener Amor en el corazón.




LP CARLOS GARDEL LOS EXITOS DE SUS PELICULAS

1974
EMI 6613

HECHO EN ARGENTINA

COM ACOMP. DE ORQUESTA




Iniciados en los años 30, Carlos Gardel complementa su excluyente fama de cantor popular asumiendo el carácter de intérprete – con fulgor de astro – en la cinematografía de largo metraje.
El éxito que lo acompaña en su nueva labor artística es refirmatorio del que siempre ha obtenido su canto agraciado. Porque eso es justamente lo que los públicos van a buscar, y reciben de él, ante las pantallas de las salas en penumbra: las sugestiones conmovedoras de su expresión y de su voz.
Muerto en el catástrofe de Medellín (Colombia) el 24 de junio de 1935, poco pudo él gustar en vida de sus nuevos triunfos, y el curso de ellos, apenas abordada esa variante artística, se truncó fatalmente.
Pero la sencilla magia de la fonografía, que, como es notorio, constituyó para el arte de Carlos Gardel el impulsor punto de despegue hacia una gloriosa posteridad – y asegura el mantenimiento de la misma – resguarda vividos en sus surcos los éxitos de sus películas.
En este disco encontrará el oyente un fácil acceso a algunas de las composiciones que desde las bandas sonoras del celuloide pasaron a la infinita difusión; a la vez que, en el somero detalle siguiente, podrá recordar, en cada caso, la exacta procedencia fílmica.
EL DIA QUE ME QUIERAS – canción - , SUS OJOS SE CERRARON y VOLVER – tangos - : pertenecen a la película “El día que me quieras”, filmada en los Estudios Paramount, de Astoria, Long Island (Nueva York), en 1935, RUBIAS DE NEW YORK – foxtrot – y GOLONDRINAS -tango -: corresponden a la película “El tango en Broadway”, filmada en los mismos estudios citados, en el año 1934.
MELODIA DE ARRABAL – tango -: incluido en la película del mismo título, filmada en los Estudios Paramount, de Joinville (París), en 1932.
MI BUENOS AIRES QUERIDO – tango - , CRIOLLITA DECI QUE SI – cifra – y CUESTA ABAJO – tango -: pertenecen a la película “Cuesta Abajo”, filmada en los Estudios Paramount, de Astoria, Long Island (Nueva York), en 1934.
POR UNA CABEZA -tango - , LEJANA TIERRA MIA - canción – y ARRABAL AMARGO – tango -: corresponden a la película “Tango Bar”, filmada en los citados estudios de Nueva York, en el año de 1935.
ESTUDIANTE -tango - : pertenece a la película “Espérame”, filmada en los Estudios Paramount Joinville (París), en el año de 1932.
AMARGURA -tango - : corresponde a una película que en nuestro país se exhibió con el título de “Cazadores de Estrellas”, siendo su rótulo original “The Big Broadcast of 1935”. En ella los Estudios Paramount presentaban los grandes números musicales de ese año. Carlos Gardel filmó para la misma, en los sets de Nueva York, el tango que se incluye en este disco y la canción criolla ¡Apure, delantero buey!

FAZ A
EL DIA QUE ME QUIERAS (Carlos Gardel – A. Le Pera)
RUBIAS DE NEW YORK (Carlos Gardel – A. Le Pera)
MELODIA DE ARRABAL (Carlos Gardel – A. Le Pera) Con Acomp. De guitarra
MI BUENOS AIRES QUERIDO (Carlos Gardel – A. Le Pera)
POR UNA CABEZA (Carlos Gardel – A. Le Pera)
ESTUDIANTE (Carlos Gardel – A. Le Pera – M. Battistella)
CRIOLLITA DECI QUE SI (Carlos Gardel – A. Le Pera) Con Acomp. De piano e guitarra

FAZ B
AMARGURA (Carlos Gardel – A. Le Pera)
CUESTA ABAJO (Carlos Gardel – A. Le Pera)
GOLONDRINAS (Carlos Gardel – A. Le Pera)
SUS OJOS SE CERRARON (Carlos Gardel – A. Le Pera)
LEJANA TIERRA MIA (Carlos Gardel – A. Le Pera)
ARRABAL AMARGO (Carlos Gardel – A. Le Pera)
VOLVER (Carlos Gardel – A. Le Pera)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

LP ANA BELEN GEMINIS 1984 CBS

Café Con Che © 2004
Educação: Esse é o nosso jeito de melhorar o futuro







LP ANA BELEN GEMINIS

1984

CBS 144846





ANA BELEM GEMINIS
GEMINIS constitui, talvez; a obra mais elaborada de Ana Belen, a maior estrela da nova safra de intérpretes espanhóis.
Sinônimo da nova mulher, consciente política e socialmente, Ana é hoje campeã de vendagem e de crítica, não só em sua terra natal como em toda Europa.
GEMINIS, o próprio nome sugere, é resultado de uma série de fatores determinados por uma personalidade segundo sua definição: “o disco demonstra bem que não tenho um estilo definido, ao mesmo tempo em que realça meu lado de atriz, no sentido de estar mais voltada para ser intérprete do que propriamente cantora. Eu jamais iria me enclausurar dentro de um tipo de canção porque conheço bem minha personalidade geminiana, camaleônica.”
GEMINIS é eclético. Um disco rico em vivências recentes e marcantes da artista. Uma mulher que aprendeu a amar o Brasil, a musicalidade da terra, o sofrimento e os sonhos desse povo. Sentimento que foi alicerçado há dois anos, por ocasião de sua estadia no Brasil, quando gravou um LP em português com músicas de: Chico Buarque, Gil, Fagner, Ivan Lins, Luiz Gonzaga, Geraldo Vandré e Zé Ramalho, entre outros, além de haver gravado um especial para a TV européia, do qual participaram Fagner, Simone, Zé Ramalho e Roberto Carlos. Nessa mesma época, inclusive, O QUE SERÁ, sucesso de Chico Buarque, na versão em espanhol, alcançava o primeiro lugar nas paradas da Espanha, permanecendo ali por oito semanas consecutivas.
Por isso tudo, GEMINIS traz quatro versões feitas por amigos brasileiros. Ronaldo Boscoli escreveu SÓ TE PEÇO ADEUS (Solo Le Pido A Dios), uma das faixas mais forte do LP por seu conteúdo sócio-político, que diz: “Solo Le pido a Dios / Que a guerra não me seja indiferente / É um monstro grande que, enorme, pisa forte / Sobre a pobre inocência dessa gente”.
A tradicional LA PALOMA (Esta Ave) ficou a cargo da poética de Fagner: “Se equivocou esta ave / Se equivocava / Pensou que o norte era o sul / E que o trigo era água / Se equivocava.
ESPANHA, CAMISA BRANCA (España Camisa Blanca De Mi Esperanza) é um belíssimo hino de amor à Pátria, composta por Victor Manuel (Casado com Ana), também adaptado por Boscoli: “Espanha camisa branca de minha esperança / Às vezes mãe, e sempre madrasta / Navalha, barro, cravo, espada / A morte sempre presente nos acompanha / No dia a dia, no perde e ganha / Enfim, nos torna todos iguais.”
A Fausto Nilo coube a delicada MIRA LUNA, do original francês LE JOUR DE MOISSON (Chamfort, Bourgoin e Victor Manuel), e que em português chama-se: OLHA LUA: “Olha lua / Não posso ver por detrás / Nem acreditar / Que você é de metal / Não é real.” PANICO EN TORREJON, de Victor Manuel, talvez seja a canção mais densa do disco: “Hay un campo verde bajo un cielo azul / Una niña inventa como hiciste tu / Hoy jugamos al avión / Que otra vez se equivocó / Y tiró dos bombas en la escuela.”
Outras músicas provém dos mais famosos compositores da atualidade, como a dupla Vangelis – Anderson (Cada Mañana A Las Seis, I’ll Find My Way Home) e Elton John (Una Flecha Más, One More Arrow)
Com arranjos e produção de Geoff Westley, GEMINIS é uma amostra perfeita do potencial desta grande intérprete contemporânea dos amores e das dores da alma humana – ANA BELEM
CBS




LADO A
SO O QUE PEÇO A DEUS Solo Le Pido a Dios
PANICO EN TORREJON
MARILYN “Le Tango”
ESTA AVE La Paloma
CADA MAÑANA A LAS SEIS Cada manhã as seis “Ill find my way home”

LADO B
ESPANHA CAMISA BRANCA España camisa blanca de mi esperanza
ROBINSON “When love is not enought”
OLHA A LUA Mira luna “Le jours de moisson”
UNA FLECHA MÁS Uma flecha a mais “One more Arrow”
LE FUE TAN FACIL Foi tão fácil (“The same girl”)

domingo, 12 de julho de 2009

LP NILO SERGIO SUA ORQUESTRA E VOZES ISTO E ROMANCE HI FI MUSIDISC

Café Con Che © 2004


Educação: esse é o nosso jeito de melhorar o futuro.Quando a LBV chamar, Atenda com o coração:DIGA SIM!




LP NILO SERGIO SUA ORQUESTRA E VOZES ISTO E ROMANCE

MUSIDISC
HI FI 2050



Segundo LP apresentando a orquestra de Nilo Sergio – o primeiro LP teve o título de “Dançando Suavemente” e marcou um dos maiores sucessos da Musidisc – o álbum agora oferecido aos discófilos brasileiros nada fica devendo ao que o precedeu, podendo mesmo bater o alto índice de vendagem que o outro alcançou.
Dando nova constituição ao seu conjunto orquestral, Nilo Sergio quis que êle se apresentasse agora com violinos, violas, cellos, trompas, harpa, piano e ritmo – adicionando a tudo isto um grande coral misto. Êste, porém, funciona como se fosse um instrumento a mais na orquestra, fazendo notáveis efeitos com os grupos de cordas.
Disco eminentemente dançante, “Isto é Romance” oferece-nos nada menos do que cinco lançamentos da autoria de Nilo Sergio, todos eles de magnífica inspiração, confirmando uma capacidade criadora, de largos recursos. Todo o roteiro do álbum, dentro do clima romântico que seu título sugere, completa-se com excelentes arranjos, em ritmo de dança, de melodias mundialmente famosas, inclusive algumas do domínio da ópera e do terreno clássico.
Dotado de todos atributos indispensáveis a um disco realmente credenciado aos louros do aplauso público, “Isto é Romance” deverá ser marcado com uma pedra branca no calendário de sucessos que a Musidisc vai lançando incessantemente.
Sebastião Fonseca.


FACE A
MY PRAYER
CANÇAO DOS VAGABUNDOS
SERENATA (SCHUBERT)
CANÇAO PARA UM HOMEM NO ESPAÇO
ESPIRAL
I CONCENTRATE ON YOU

FACE B
ROMANTIC PARTNERS
PESCADORES DE PEROLAS
MARIAS DE PORTUGAL
I LOVE BRAHMS (3º SINFONIA)
SANSON ET DALILA
LAGO DOS CISNES

sábado, 11 de julho de 2009

LP PAT BOONE HOWDY! RGE DOT

Café Con Che © 2004

Educação: esse é o nosso jeito de melhorar o futuro.Quando a LBV chamar, Atenda com o coração:DIGA SIM!





LP PAT BOONE HOWDY!

RGE
XRLP6008



Incentivado pelo enorme sucesso de Pat Boone em discos RGE, por ocasião do lançamento do seu primeiro LP “PAT BOONE” (XRLP-6002) apresentamos aqui o segundo microssulco do jovem cantor norte-americano, reunindo as maiores sensações musicais do momento, na Terra de Tio Sam, na voz personalíssima desse cantor
Desde que assinou contrato com a etiqueta “DOT”, a carreira de Pat Boone ascendeu vertiginosamente, tornando-o o mais popular dos intérpretes nos Estados Unidos. Suas gravações alcançam normalmente e individualmente tiragem superior a um milhão! E recorde-se a grande concorrência que existe nos “States”.
A acolhida com que foi recebido em nosso país, deixou patente definitivamente as qualidades do jovem interprete.
ASTRO DO DISCO E DO CINEMA
Hollywood não poderia deixar passar desapercebida a figura interessante de Pat Boone, e não titubeou. Contratou-o para “estrelar” a película “Bernardine” (O sonho que eu vivi) onde êle aparece interpretando pela sua atraente voz.
O QUE CONTEM ESTE “LONG-PLAYING”
Neste verdadeiro desfile musical de bôas melodias, em cada faixa encontramos algo de novo para se gostar mais do moço. Ouça atentamente, por exemplo, Pat Cantar a conhecidíssima “Beguin the beguine” que consegue nos transportar com a fôrca de sua interpretação para deliciosos recantos tropicais, revivendo de forma muito feliz a antiga composição. “All I do, is dream of you” é uma música que sempre se ouve com prazer. E a alegria penetra em nosso íntimo pela voz firme do artista. “Beg your pardon”, número alegre encontra em Pat seu intérprete ideal. Destaca-se nesta faixa um curto, mas interessante solo de piano. Para os que apreciam números românticos, encontram-se outras faixas deste agradável long-playing “Love letters in the sand” (atualmente em primeiro lugar no “Hit Parade”) “Forgive me”, bastante melódico, sugere logo um parzinho enamorado, dançando a meia-luz. “Friendly persuasion” destaca-se entre as demais composições pelo imenso vigor musical e interpretativo encontrado. Esta gravação pode ser considerada um dos pontos altos da carreira meteórica do já vitorioso cantor. Este número é interpretado por Pat Boone, “abrindo” a película “Sublime tentação”, da Allied Artists, onde praticamente êle faz sua estréia no mundo cinematográfico. Para satisfação dos apreciadores do ritmo mais movimentado, selecionamos agradáveis peças musicais, como: “Sunday”, onde salienta-se importante solo de saxofone. “Why baby why” é no momento, uma das melodias mais ouvidas nos Estados Unidos. “Every little thing” nos traz toda a versatilidade de Pat Boone em gostosa interpretação. “Chatanooga shoe shine boy”, agrada desde os primeiros compassos musicais. A voz de Pat dá o toque final. “Would you like a walk” agrada pela simplicidade musical. “Harbour light” mixto de “blue” e música havaiana é exatamente aquilo que uma pessôa gostaria de ouvir em momentos de descanso. Tudo isso reunido: a voz de Pat Boone, as magníficas orquestrações e um excelente côro, colocam o presente LP na condição de excelente aquisição para o discófilo.
Notas de MIGUEL VACCARO NETTO



LADO A
BEGIN THE BEGUINE
WHY BABY WHY
ALLI DO IS DREAM OF YOU
EVERY LITTLE THING
FORGIVE ME
CHATANOOGA SHOE SHINE BOY

LADO B
BERNARDINE
FRIENDLY PERSUASION
WOULD YOU LIKE TO TAKE A WALK
LOVE LETTERS IN THE SAND
HARBOUR LIGHT
SUNDAY